quarta-feira, 20 de maio de 2015

Putz, parece que me esqueci que tinha blog...ai que vergonha!!! =(

Gente, nem sei por onde começar...vida corrida, cansaço, esquecimento e preguiça!!! Sim, confesso. Afinal melhorar é aceitar os erros, seguir em frente, aproveitar a oportunidade de fazer novamente e direito.

Pensei em um bom tema para voltar a escrever, afinal foi quase um ano de ausência e portanto muitas coisas viram assunto pra escrever. 

O principal problema que estou enfrentando com a Caca hoje (3 anos e 8 meses) é a postura do sentar. É difícil perceber porque a criança está sempre em movimento e a postura parece ser momentânea e não um hábito a se observar.

Na primeira reunião de pais deste ano, a professora da escolinha da Catarina foi quem primeiro percebeu que ela estava frenquentemente sentando em W. Não reconhece a forma??? Fica fácil de entender e visualizar o problema com o texto a seguir... (fonte: http://maplebearjaguare.com/2015/04/06/w-sitting/)


W-Sitting


5
Sentar em “W” refere-se à postura assumida pelas crianças quando se sentam no chão com as pernas posicionadas no formato de um “W”, sendo esta uma das várias posições que a criança pode assumir enquanto brinca. Em relação a isso, a alternância entre as posições que a criança senta é muito benéfica e estimula a descoberta dos limites de corpo. No entanto, se assumido com frequência, este hábito postural pode gerar alterações ortopédicas, no desenvolvimento ósseo e no desenvolvimento motor.
1
Alterações Ortopédicas:
Quando sentada em “W”, os quadris encontram-se no limite da rotação interna, predispondo a criança a problemas ortopédicos futuros. Nesta posição anormal, o risco de luxação do quadril é preocupante. Esta posição também favorece a instalação de encurtamentos e contraturas musculares.
2
Desenvolvimento Ósseo:
O sentar em “W” também pode afetar o desenvolvimento ósseo, favorecendo a anteversão da cabeça do fêmur e a rotação interna da tíbia.
w_sitting__large
Desenvolvimento Motor:
Na postura em “W”, a criança experimenta um grande aumento da base de sustentação quando comparada com outras posturas sentadas, isso lhe garante maior estabilidade e menor necessidade de ajustes posturais. Quando sentada em “W”, o centro de gravidade dificilmente ultrapassará a sua base de sustentação (a área ocupada pelo “W”), desta forma, os músculos do tronco terão pouco trabalho para manter o equilíbrio. Obviamente equilíbrio e estabilidade são coisas boas, mas, a instabilidade também é essencial para desenvolver reações posturais e a força nos músculos do tronco. O problema é que o “W” é tão estável que não permite à criança exercitar seu equilíbrio, também limita as rotações de tronco e as transferências de peso laterais como aquelas que realizamos para alcançar um objeto. Como resultado, ocorre um atraso nas aquisições de controle de tronco e equilíbrio devido ao não uso. Além disso, pela falta de transferências laterais e da capacidade de cruzar a linha média (levar a mão esquerda a alcançar um objeto no lado direito do corpo), a criança tende a usar a mão direita no lado direito do corpo e a mão esquerda no lado esquerdo do corpo, afetando o desenvolvimento da dominação manual.
A maioria das crianças adquire a posição em “W” por curtos períodos de tempo, alternando naturalmente para outras posições. A forma mais fácil de prevenir complicações é evitar desde o início que se torne um hábito. Elas devem ser estimuladas a mudar a posição e chamadas à atenção para corrigirem a postura sempre que a posição em “W” for a preferencial. Se você perceber freqüência na postura em “W”, basta ajudá-la a modificar a posição com suas próprias mãos, guiando-a, por exemplo, para outra postura e conversando com ela, explicando que ela precisa endireitar as perninhas pra não se machucar.
3
Depois do esclarecimento através do texto ficou evidente que esta postura já começou a prejudicar o caminhar e o posicionamento dos pés. A Catarina não chega a tropeçar andando, sequer correndo, mas é possível perceber alterações nos joelhos e pés. Estamos aguardando mais um tempinho, para verificar se será preciso correção ortopédica.

Hoje, o policiamento é constante e virou mantra a repetir para Caca: -"Filha, PERNINHA DE INDIO!!!"', e ela diz...: -"Mamãe, eu não consigo! Me ajuda!".  Pra mim isso mostra que a dificuldade dela sentar com as pernas cruzadas que a faz sentar em W.

Outro dia tentei, e caraaaaaaaaaaamba como dói sentar assim. Só a maleabilidade das crianças explica, porque acho que quanto mais "véia" mais difícil fica!!!kkkk